7 de janeiro de 2008

Escudo


Creio ser desnecessário portar armas full time pra fuzilar qualquer tentativa de sofrimento que se aproxime do coração. Mas do escudo é difícil se despir. Afinal, quando se leva muitos tombos, não é preciso temer o novo caminhar - porque medo é uma das características mais plebes que alguém pode portar -, mas não custa ter cautela com os saltos nas ruas esburacadas. O escudo cardíaco é aquele dispositivo que te faz ficar alerta nos sinais, mínimos que sejam, de perigo. Alguns chamam paranóia; outros, trava. Todavia parece ser acessório indispensável pra oferecer o mínimo de defesa aos corações remendados. Sem ele você pode não prestar atenção onde pisa e só perceber que entrou no caminho errado quando já tá apaixonado. Ou se jogar com tudo numa história que parece perfeita, sem perceber que as intenções do outro não são afins ou que esse tal outro tem outras histórias. Por outro lado, o escudo pode atrapalhar e até impedir que se vivam os sentimentos de forma absoluta; calar-se quando se quer dizer muito; conter-se, quando se quer entregar; dizer "até a próxima" quando se quer um "até amanhã". Amarras, receio, vacilo, covardia, dúvida e inércia podem até se travestir de escudo. Mas se proteger, de verdade, não significa deixar de viver, e sim ter certeza de que se quer e se pode jogar na piscina de cabeça, com ou sem trampolim. Talvez não fosse uma má idéia trocar o escudo por uma sombrinha. Uma bonitinha, colorida, singela, que seja! Assim pode se proteger das tempestades, sem reprimir tão bruscamente os sentimentos; além de se molhar um bocadinho e sentir o vento, fica mais bonitinho.

7 comentários:

Wladmir P. disse...

O problema, garota, é a tal da medida. Até onde pôr o escudo? Mergulhar numa piscina rasa ou funda? E a sombrinha, grande ou pequena? E se a água da piscina for boa não seria melhor uma mais funda? Questões, questões... Estou interrogativo demais hoje. Bjos

The Doll disse...

Bom, na minha opinião....
SE JOGA NA PISCINA!!!!!!!!!
A vida é breve demais para muitas conversas...
"...hj o tempo voa amor, escorre pelas mãos, mesmo sem se sentir...e não há tempo que volte amor...vamos viver tudo q há pra viver...VAMOS NOS PERMITIR..."

nobody disse...

Tem mesmo que se proteger, mas só até onde isso não te faça perder uma grande chance. Pq no fim não existe muito mais do q o q vc deseja... Somem orgulhos, medos e traumas.
=^*

Tâm. disse...

Renis, a vida precisa ser vivida em sua plenitude... sem medos, sem defesas q te tirem a possibilidade de viver. Outra coisa, não é preciso ter coragem pra se entregar, é preciso ter MANHA!

Renatinha disse...

Wlad, teu escudo é daqueles de guerreiros de filme pelo jeito! =P Pensar, supor e, ainda mais, dar créditos a alternativas possíveis é pior do que temer. Affff. Esses piscianos! Bjo, cariño mio.

Meninas, concordo q o tempo passa rápido demais. E, depois desse 2007em q perdemos chances, pessoas e principalmente tempo, acho q temos q nos livrar de tantas amarras. Agora, sem a ansiedade típica de sagitário, né, Tâm? Xero em todas

O Comendador disse...

Vou insistir: as coisas podem ser mais simples do que imaginamos. O grande problema é a memória e a imaginação. Sofremos mutas vezes pelo o que lembramos e não existe mais; sofremos também pelo o que gostaríamos no futuro. E o presente? Abra o presente, querida. Troque de namorada; troque os maus por bons amigos; "Troque seu cachorro por uma criança pobre." Um brinde!

Renatinha disse...

Tim-tim, Comendador! Que bom q voltou a colaborar conosco! E disse tudo: presente. Infames passado e futuro. O presente de presente neste ano pra todos nós! Não presta? Troquemos. =)