20 de janeiro de 2008

Disciplina do amor


Nem me importei com os espirros provocados pela poeira das velhas páginas. Reler alguns contos de Lygia Fagundes Telles e de Clarice Lispector me transportou para idos de um passado em que ainda havia inocência. Em mim, pelo menos. E a sensação de quando li, pela primeira vez, um dos trechos de A Disciplina do Amor. As escritas sempre fascinantes de La Telles me tocaram de tal forma, na época, que sinto agora, vivos, o gosto e o cheiro daquela leitura. O suficiente para ilustrar minha constatação de mudança pessoal. A idéia da fidelidade daquele cão, que transcendia a rotina material com o dono, hoje me chega diferente. Agora já não creio que aquela "disciplina" tenha sido por fidelidade, mas por lealdade. Conceito mais sincero, mais humano e crível. Também questiono se algo vale a espera. E penso se os sentimentos daquele animal não seriam mais nobres do que certos instintos humanos. A verdade é que devo estar ficando velha e chata. Mas continuo admirando os animais e o amor gratuito que nos ofertam.

23 comentários:

nobody disse...

Reenergizante é ler gente como Lygia e Clarice. Mas não perca a esperança de todo, há seres sensíveis no mundo... só temo q sejam quadrúpedes na sua maioria. hehehehehehehehehe
bjs, fulô!

Wladmir P. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wladmir P. disse...

Concordo com o (a) colega do comentário anterior. Os seres sensíveis são so quadrúpedes mesmo. E não na maioria, mas na totalidade.

Renatinha disse...

Vixe, vcs tão mais incrédulos do q eu! Ou são defensores dos bichinhos também. Bjos, amados. =**

Renatinha disse...

Nossa, e só agora constatei: a descrença vem de dois piscianos! Se eles não sentem, que restará para os pouco românticos de Sagitário? Pronto, "socorro, alguém me dê um coração, q esse já não bate nem apanha! Por favor, uma emoção pequena, qualquer coisa...".

nobody disse...

caramba! pegou na veia mesmo... é essa mania dos "piscianos coração de tubarão" que já apanharam muito na vida (tô falando por mim).

beijus, queridos!

ps.ei wlad! é "a" colega.

Anônimo disse...

Rê, te chamaram de insensível. fria, sem coração, desprezadora de corações apaixonados! rs. ai ai, eu não me conformo rsrsrs...

Renatinha disse...

Mai né fogo? Melhor eu começar a latir, miar...quadrúpedes, uni-vos!

No céu é sempre domingo disse...

AuAu Renatinha (lê-se: oi), só não me mande andar de quatro rsrsr
Infelizmente percebo que amor de graça já não é uma coisa dada pelos humanos. E qdo é dado não é valorizado. E não é valorizado simplesmente pq nos perguntamos o porquê de alguém amar de graça. Se é alguém que eu não levo pra farra, se eu converso tão pouco, se eu dou tão pouco. Se até trato mal. Pq me amar de graça??? Será que não estamos dando atenção e valor a pessoas erradas?
Uma pena, estamos andando para o caos rsrsrs
Se isso consola os poucos sagitarianos românticos, a pisciana aqui ama de graça e acredita no amor gratuito dos humanos. Infelizmente ela paga um preço enoooorme por isso. Mas prefiro continuar assim.
Quanto aos piscianos acima, como diz a Lispector: eles não são tão tristes assim, é que hoje eles estão cansados. Rsrrsrs.
Desculpa a brincadeira e a intromissão, mas não resisti. Bjo

Renatinha disse...

Fique a vontade pra comentar, "No Céu"! Sagitário inspira cuidado por ser um signo que é metade humano, metade animal e a metade humana ainda está armada. hehehe. Mas o amor "pago" não passa de orgulho; não desista, mesmo q pareça desumano! =) Ah, e nem me preocupo com a tristeza lispectoriana dos dois piscinos acima, por que pra eles eu viro cachorrinho mesmo, lambo os pés e amo de graça. Xero

Anônimo disse...

"No céu":
"Coragem de amar e desamar,coragem..."Lygia. Acredito em amores bípedes, sim acredito mesmo... o q não acredito é q algumas pessoas ainda desconhecem a coragem de desamar; não é deixar de ser capaz, ou ainda desacreditar no amor, mas desamar "seria deixar ir..." talvez entender que amar é deixar ir e não pagar um preço por amar demais ou ainda desamar... apenas entender o ritmo do amor, da vida.

KK disse...

uau.
"porque pra eles eu viro cachorrinho mesmo, lambo os pés e amo de graça."
e ainda te chamam de insensível?
é lógico q vc é zenzível!!!!!!!

bjo

Wladmir P. disse...

É Vivi, estás certa: são os tais piscianos coração de tubarão que já apanharam muito... E agora, como faço pra me livrar disso?

Bjos

Marcelo disse...

A Rê insensível? Que calúnia! (ei, quero meus 30%...rsrs)
Eita povo que não entende... acontece que a Rê mora numa cobertura, acima dela, só o céu. E tenho dito.

Marcelo disse...

Ah.. por falar em disciplina e amor... li recentemente uns livros bibliográficos da época do Brasil Império e lembrei do casal Maria Leopoldina e D.Pedro I.

Leopoldina mulher culta, educada, polida, fiel, doce, apaixonada por D. Pedro I; este, por sua vez, se interessava mais nos prazeres carnais, sendo que quando se pensa em D. Pedro I, muitos no primeiro ímpeto, chegavam a dizer que sua esposa chamava-se Domitila, aquela que foi sua amante oficial por anos e que posteriormente adquiriu o título de Marquesa de Santos. Domitila - a "Plebéia Bela" (inteligente, não culta, não polida e nada inocente) sempre foi admirada por sua beleza.

Fazendo uma análise dessas duas mulheres de D. Pedro, o Conselheiro Francisco Gomes da Silva, O Chalaça - malandro, fiel escudeiro de D.Pedro I, chegou a conclusão de que a inteligência de ambas era canalizada para diferentes fins. Depois de anos de observação in loco, O Chalaça "filosofou" se referindo a então Marquesa de Santos:

"Nada se compara ao poder de uma buceta bem administrada".


Sem mais comentários...rs

No céu é sempre domingo disse...

“Ah, e nem me preocupo com a tristeza lispectoriana dos dois piscinos acima, por que pra eles eu viro cachorrinho mesmo, lambo os pés e amo de graça”
Hahaha adorei saber disso, embora não imaginasse que fosse diferente e faria o msm tb.
Falei de amor de graça e levei uma lição de amar e desamar. Aiaiai.Tudo bem Sr anônimo recado dado e, talvez entendido, depende do meu humor. Rsrsr
Pela quantidade de comentários debatidos, nem preciso fazer elogios neh?
nem ia postar, mas ja que falaram cmg...Bjos procê. Gostei muito do "No Céu". rsrsr

Renatinha disse...

Hahahahahaha. Gente, era um post em homenagem ao cachorrinho de A Disciplina de Amor. Só isso. Lembram que sou defensora dos bichinhos? Não é por que me tornei mãe que fiquei "insensível" (ai, meda!) à causa!!! Mas gostei do rico debate sobre amor. E da buceta bem administrada de Marcelo (meu Deus, o q o ano par está fazendo com esse homem, q já teve vergonha?). Má, obrigada pelo atestado de sensibilidade (vc bem sabe o poço de emoções daqui de dentro, né? Não é pra todo mundo q mostro... Precisa dos 30% ainda???). Mas nem venha com essa de que acima de mim só o céu. Deixa disso, q eu moro é num tronco (lembra?) e tu numa torre bem alta (nenhuma referência a Rapunzel). Aiai, meu amargor não me deixa entender o que é umami. =)

Ah, e, por falar em céu, Thially, agora vc virou "No Céu" mesmo. De lá ninguém te tira. kkkkk. Vou aparecer pelas bandas dos altos também pra ver se sinto o gostinho do Paraíso. =)

Wlad e Vi, acho q sagitarianos traumalizados sabem administrar melhor suas buc...ops, suas seqüelas. Mas bem q vcs podem conversar sobre como botar seus tubarões pra devorarem os males (ou mares) de peixes. =)

Bjos pares em todos =******

nobody disse...

“A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois de desinquieta. O que ela quer da gente é coragem.”
J.G Rosa

Marcelo disse...

Ei, não perdi a vergonha... aquilo foi um relato histórico, ora essa... rs

Mas o ano mal começou e eu tô surtando.

Renatinha disse...

Agonia desse número 19. Pra arredondar pro par, eis um comment. Má, aproveitando, concordo q tás surtando. Alegrinho, alegrinho? Isso tá me cheirando a algo. Beijo e abraço, abraço e beijo.

Vi, eu ia botar Florbela, mas essas aspas aí valem pelo tom poético do post. Amo-te, minha flor-meu bebê.

Marcelo disse...

Que agonia desse 20. Vou fazer um 21. Eis que surge um comment ímpar em protesto à sua discriminação. Onde fica a eqüidade? Oxe, oxe.

Cheirando a que, onde? Bem que poderia ser a gasolina. Vou te contar um segredo... eu adoro cheiro de gasolina, fico doidão quando vou abastecer... aham, eu tenho problema.

Alegrinho sim, aconteceu coisa boa hoje. Depois te conto. :))

Sra sensível (?) rs, embora a ti eu pudesse fazer vários elogios, vou mantê-los em silêncio porque, como nós não podemos concordar em nada mesmo, você teria que refutá-los... beijos ímpares no tronco.

Renatinha disse...

Eita, eu tb sou doentinha. Adoro cheiro de gasolinaaaa. Não cheguei a beber; já é um bom sinal. Má, acabei de concordar contigo, visse? Menos no quesito par-ímpar. Dois xeros.

Paranóia Ululante disse...

responda a enquete lá no meu blog.