27 de março de 2008

Crise de meia-idade















Senhorita Kolene says:
estou explorando a infância...o menino pelo qual me interessei tem 20 e poucos anos. e quem mais vai investir sou eu. Toooda inocente.

Pegue na minha e balance says:
manda o endereço dele. toda inocenteeeeee.

Senhorita Kolene says:
uma criança hardcore.

Pegue na minha e balance says:
tô passada

Senhorita Kolene says:
Pq? ele é tudo; tem nem graça nas fotos

Pegue na minha e balance says:
nessa foto ele tinha 14 anos

Senhorita Kolene says:
hahahaahahahahaahahahahahaa. Pronto, vou dar o bote.

Pegue na minha e balance says:
ele tem 17 anbos caralho

Senhorita Kolene says:
não, não, é de maior
garanto
vê o nível das menininhas com quem ele fala. Precisa conhecer uma mulher de verdade

Pegue na minha e balance says:
ai

Pegue na minha e balance says:
ele não existe. o de 15 anos

Senhorita Kolene says:
existe, po. eu conheci.

Pegue na minha e balance says:
vamos esperar fotos novas

Pegue na minha e balance says:
o de 15 anos????? kkkkk. Ele existe lindo e loiro. E liso, pq vi no ônibus.

Pegue na minha e balance says:
ele tá de onibus pq não tem idade pra dirigirrrrrrrrrrr

Pegue na minha e balance says:
hahahahahahaahahahahaaha. Será, heim? Meu deus, onde fomos chegar?

***

21 comentários:

Anônimo disse...

Pra q um homem de 30, se podemos ficar com os de 15.Tá bom... os de 20!!!!
bjssssssssssssssss

Paranóia Ululante disse...

hummm, acho bom utilizar dos dotes experientes para cercar a presa infantil.
boa sorte com o bebe grunge

DW disse...

Quem sabe ele só não tenha grana pra ter carro...
Eu mesmo vou chegar aos 40 sem conseguir comprar um Hotwheels.
huahuahauhuahuhau

Renatinha disse...

Hahahahahaahahaha. Bichinho do boyzinho. Eu supertorço pela Senhorita Kolene! Abaixo os seqüelados de 30, né, meninas? =**

Anônimo disse...

Eita, essa hipótese foi descartada...Será q a tal da mulher esquece q nen todo homem é capaz de fazer dinheiro? imagine um carro?Sim, pq dessa forma tornaria o senhor de 20 aninhos uma pessoinha(by bus) interessante.
Mesmo sem Hotwheels.
é né foi eu mesma!

Marcelo disse...

Mulher de 30, onde? Deveria mudar o nome do blog para "Confissões de adolescente".

Ei, ei...não me mande tomar suco de caju. (se é que você me entende)

Anônimo disse...

É PODEIRA SER "CONFISSÕES DE ADOLESCENTE"... MAS AÍ O BLOG SERIA SEU .
"Meu amigo Marceleza já me disse com Certeza
Não sou nenhuma ficção
E assim torto e de verdade com
Amor e com maldade, um abraço e
Até uma vez"

Anônimo disse...

Renatinha,

Perto de fazer trinta, fico encucada... claro q aos tolos de pouca idade(pode ser mental),dificilmente sobraria tempo pra uma mulher... pensando em comprar Hotwheels.

Lindinha Da Silva SAuro.

Marcelo disse...

Não vejo problema em expor opiniões, isso só me parece enriquecedor. Sem embargo, emitir opinião utilizando-se da anonímia é absolutamente torpe e vil.

Meu comentário anterior pode ter sido mordaz, mas não tive intenção de ofender. E até para não ferir suscetibilidades, foi descambamento assumido e proposital.

Ademais, minha admiração pela senhora Renata está acima dessas pequenezas todas!!!

É isso mesmo. Nunca esteve em cheque.

Não tem preço!

Paranóia Ululante disse...

Atualiza, nate!

Renatinha disse...

Deixa de ser tabacudo, Má! Mais adola do q tu só o boyzinho de "14 anos". Pior: tu já tás beirando a idade de Cristo =P. Meninas, ele é assim mesmo; não se preocupem. A diferença entre as de 30 e os de 30é que o espírito deles envelhece, mas não amadurece. E a gente geralmente sabe que maturidade é usar a experiência balzaca, com direito a ruga, celulite e tudo o que vier junto, numa jovialidade que transcende tabus e tediosas regrinhas sociais, né? Perdeu, preibói =***

Marcelo disse...

A maior prova de imaturidade é a não aceitação à crítica, visse jornalista? Não tenho compromisso com a estagnação, mas opiniões anônimas são execráveis.

Renatinha disse...

Ô, Ma, doce como sempre! Advogado, ninguém por aqui tá querendo provar maturidade não. E não se trata de não aceitar crítica; ninguém é obrigado a concordar com a crítica, solamente. E acho o anonimato válido, tanto que o permito aqui no meu bloguinho adolescente. Tais comentários são tão bem-vindos qto os teus, meu (sempre) querido. =*

Renatinha disse...

Ei, Ma, outra coisa: fica com ciúme do boyzinho não, que poucas histórias que utilizo neste blog se passam com minha pessoa. =P. kkkkkkkkk

Marcelo disse...

Percepções diferentes, jornalista. E, data maxima venia, Vossência não foi além da Rural, hoje. :)))

Agora é mais que pertinente encerrar essa discussão com apenas um argumento - necessário e suficiente.

Vinhas tão bem, aí descambasse, ô.

nobody disse...

Eu vejo um problema em expor opiniões: quando elas são absolutamente fracas de argumentos e só vêm pra disfarçar o complexo de inferioridade do comentarista desqualificando as experiências dos outros!
O anônimo também é uma escolha, um direito dado pela dona desse sítio e um nome tb! Pq fora vc, Marcelo, todo mundo aqui sabe quem é o anônimo... Vc está sobrando mesmo!

Ahh... e voltando ao post (o q realmente importa)
"Me gustan los estudiantes
que marchan sobre las ruinas,
con las banderas en alto
pa’ toda la estudiantina.
Son químicos y doctores,
cirujanos y dentistas.
Caramba y zamba la cosa,
vivan los especialistas!"

Renatinha disse...

Xiii, Marcelo, sou obrigada a concordar q tua necessidade de apontar apaga o q tens de belo por vezes. Necessidade de apequenar (ou ruralizar) o mundo alheio, não? Eu quis ser sutil e democrática, mas descambei, né? E descambo sempre. Sou assim mesmo, perfectível, mas bem longe de chegar lá. Brigada por analisar meus erros e acertos assim de graça.
Vi, Mercedes Sosa é tuda! =*

Marcelo disse...

Nobody, você cometeu tanta falácia que seu argumento tornou-se enfadonho.

Primeiro que você se baseou de "argumentação irretorquível" e na crença de que há uma mensagem subliminar para construir seu argumento. E ainda ignorou a objetividade crítica ao reduzir tudo à subjetividade. Você apelou para argumentos "Ad Hominem" e " Ad Populum" na tentativa de validar um raciocínio contraditório e falacioso.


"Eu vejo um problema em expor opiniões: quando elas são absolutamente fracas de argumentos e só vêm pra disfarçar o complexo de inferioridade do comentarista desqualificando as experiências dos outros!"

A última oração nada mais é do que um exemplo claro da falácia conhecida como "projeção da sombra".

Marcelo disse...

Renata, meu dedo me aponta!

Não passou nada disso pela minha cabeça, mas sua capacidade de interpretação me surpreende.

Sem mensagens subliminares, ok? Não deturpe.

nobody disse...

i intão! é issaê, mermão...
Diem perdidi!!!

Renatinha disse...

Tá bom, gente! Sem subliminares e sem ofensas. Em coração de mãe cabe de tudo mesmo. =*********