9 de julho de 2010

Síndrome de Kaká


- Quanto tempo! Como vão as coisas com aquele rapaz?

- Abuso. Comecei a perceber tanto defeito, tanta covardia! Na verdade, fiquei agora egoísta. Qualquer coisa que me dê um pouquinho mais de trabalho (incluindo homens), eu tô dispensando.

- Eu também estou tão blasé. Tô me achando a última coca-cola do deserto. Não quero mais nada mais ou menos.

- E aquele teu amigo, que tu achava Macho Alfa?

- Quê? Passado o deslumbre, começo a ver que se trata de mais um metido a merda. Ele se acha o galã, o bom partido.

- Bom partido? Ele tem que ralar muito pra chegar lá. Bom partido é aquela unanimidade, que você admira pela inteligência e pela integridade. Ele é metido por quê? Bonitinho, inteligência mediana que se sobressai pelo convívio com inteligências inferiores. O tipo de pessoa mediana.

- Pior. É hipócrita.Vangloria-se da imagem de bom moço, fiel, religioso, caridoso. Quando, na verdade, é safado, não pode ver um rabo de saia, e não contribui muito com as causas que prega.

- E o marido da nossa amiga, que voltou a beber e esqueceu as responsabilidades de pai? Ela saiu ontem de casa com o menino, que nem tem um ano.

- E o da outra a deixou cuidar sozinha da filha, que exige cuidados especiais, para raparigar, esta semana.

- E todos esses bancavam os bons partidos, não? Os melhores, pelos quais as mulheres deveriam agradecer todos os dias.

- Sinceramente, eles são como um time. Como a seleção brasileira, que, depois dos holofotes e do show mundial, voltam às origens fracassados. E, ainda por cima, sofrem da Síndrome de Kaká. Religiosos ou não,  posam de bons moços, quando, na verdade, são uns dissimulados.

- E ainda fazem a linha família. Mas só amam a si mesmos. O próprio umbigo, que julgam perfeito.

- Ah, coitado de Kaká! Ser comparado a esses bostas...

- É mesmo. O crime de Kaká é dizer "puta que pariu!". Os desse time não caberiam num palavrão.

- E eles nem teriam competência para chegar às Quartas de Final.

3 comentários:

Wladmir P. disse...

O final ficou irado!

Guilherme Navarro disse...

Não saberia fazer um arranjo de diálogo de maneira tão primorosa. Genial!

Fabrício Romano disse...

rs, muito bom.