12 de junho de 2010

Feliz Dia dos Nãomorados Ano IV


Desta vez é diferente. Não porque ser solteiro é bom; apenas não é ruim. Não porque a ausência de companhia é a perfeição; apenas é verdadeira. Não que namorado seja péssimo; apenas deve existir em algum lugar que não aqui e num tempo que não é hoje. Deixemos de lado a ode ao momento conveniente. Se acompanhado, é a pessoa mais feliz do mundo; se solteiro, é a maior curtição. Preocupar-se em traduzir em felicidade o que se passa talvez seja o erro. Erro também estar solteiro ou comprometido por algum motivo que não seja honesto. Amar é honesto. Não se forçar a amar o conveniente o é igualmente. Enquanto o status de relacionamento for importante felicitômetro, continuarão as decepções, os namoros mornos, a inquietude, a solteirice desvirtuada, a badalação com direito a vazio-day-after... Conhecer, assumir e respeitar o que se sente talvez seja o resumo do manual. Calibremos, portanto, os instrumentos de aferição da felicidade sem o peso do estado civil. Nada mais triste do que estar com um namorado para cumprir tabela; ou estar solteiro pela variedade de opções no menu. Quando entendemos que relacionamento significa companheirismo, afinidade, tesão e compromisso, lembremo-nos também do caráter transcedental da união, ou da solidão saudável. Se, ao fecharmos os olhos, experimentamos a sensação de integralidade e conexão cósmica, estejamos envolvidos ou não com alguém, comemoremos. Afinal, com aliança ou só consigo, a ordem é ser livre para escolher.

4 comentários:

Wladmir disse...

Perfeito...

Tati Balboa disse...

Ai minja q lindinhoooo!

Olívia disse...

assino embaixo... De que valem os currículos e os títulos sem conhecimento, experiência e vida vivida? A vida não vale nada se se resume a estampas.

caracol menina disse...

sua óptica me deixou sem palavras. pense num "olhos" poderosos! rs

sério, fiquei umas horas pensando o que eu compreendi, o que eu absorvi pra mim. mas isso é pano pra manga, viu.
pense!

;D