17 de março de 2011

A lua e eu

Daquelas fases em que a gente tem mania de personalizar tudo. Vitimizar-nos. Mania de perseguição aguda momentãnea, como se poderia definir. Sabe olhar pra lua e achar que ela tá mudando por você? Há uns dias tava tudo escuro no céu negro. Foi por causa daquela tal decisão que acabou o que era doce...Hoje, já crescendo, luminosa, ela me acompanhou na janela do ônibus. Estava tocando música de luau no fone de ouvido, embora a seleção fosse só com as melosas. Vai estar cheia, como eu, por uns dias. Sorriso prateado, mas prestes a estourar de tão plena de tudo. No ápice destes dias onde mal vejo o céu, minguarei com ela, e com eles, numa nova fase de quase-luz. Mas eu serei Sol. Ela, o mesmo satélite sem luz própria. Ele, em definitivo, vai dizer sim à noite. Sempre preferiu a lua... 

4 comentários:

Posmex disse...

A criatura criadora voltou! Viva!

Tempestade disse...

O que dizer senão "que texto lindo"

xero Jornalista

vivi disse...

é quase uma quadra de Nostradamus!
Amei!!!

Tarsila Aroucha disse...

ameeei e só! :*